sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

Médicos vão promover hábitos de leitura nas famílias com crianças entre seis meses e seis anos

Médicos e enfermeiros dos Centros de Saúde e dos Hospitais Pediátricos vão actuar como promotores de leitura junto de famílias com crianças entre os seis meses e os seis anos, segundo um protocolo hoje divulgado.
Para concretizar o projecto, a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral (APMCG) celebra terça-feira, em Lisboa, um protocolo com a comissão do Plano Nacional de Leitura (PNL), que realça a "importância do convívio com livros e da leitura em família, entre adultos e crianças a partir pelo menos dos seis meses, como factor determinante da aprendizagem e desenvolvimento da literacia".
Em declarações à Agência Lusa, a comissária do PNL, Isabel Alçada, referiu tratar-se de uma "iniciativa pioneira em Portugal", que assenta em estudos realizados em outros países, como os Estados Unidos e Canadá, e que pretende "mobilizar a sociedade civil" para este projecto de promoção da leitura.
Um dos objectivos do protocolo é o de que os médicos possam recomendar aos casais com crianças livros que "estejam de acordo com o desenvolvimento de cada idade" - dos seis meses aos seis anos.
Neste âmbito, Isabel Alçada destacou que serão distribuídos pelos Centros de Saúde e Hospitais Pediátricos exemplares de livros que os clínicos gerais podem aconselhar e mostrar aos pais das crianças.
"Nos gabinetes médicos haverá caixas com conjuntos de livros para todas as idades", ou seja, com "o livro-tipo para cada idade", acrescentou a comissária do PNL.
Outra das ideias é a de "montar mini bibliotecas nas salas de espera" dos Centros de Saúde e Serviços de Pediatria dos Hospitais, a par da divulgação de "brochuras informativas para as famílias" interessadas.
Além dos médicos, o PNL pretende também envolver os enfermeiros e outros profissionais da Saúde neste projecto, que, nas palavras de Isabel Alçada, está aberto quer ao mecenato das empresas, quer ao mecenato individual.
Este mecenato pode traduzir-se na entrega de donativos ou na "oferta de livros", esta última em articulação com um outro projecto já existente com a Associação dos Educadores de Infância.
O projecto visa também sensibilizar os pais das crianças para o facto de poderem requisitar gratuitamente livros infantis nas bibliotecas públicas.
A iniciativa agora lançada em Portugal de envolver os profissionais de saúde na promoção da leitura deu, em outros países, resultados positivos no desenvolvimento dos níveis de literacia e dos hábitos de leitura das crianças e das famílias.
Um documento do PNL indica que, no quadro do protocolo, está em estudo o projecto "Ler + dá Saúde" que, no âmbito da pomoção de comportamentos saúdáveis, tem como impacto esperado o "aumento do tempo de convício diário entre pais e filhos" e a "prática de actividades promotoras do desenvolvimento afectivo e intelectual tanto de crianças como de adultos".
© 2007 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.2007-11-11 14:35:02

1 comentário:

soliletras disse...

Passei por acaso e acho este blogue muito importante. li alguns postes e gostei.

Se o meu avô lesse este poste ficava satisfeito.
Ele anda sempre a dizer que todos os pais novos deviam ler e habituar a leitura aos seus filhos.
Mas ele para além disso diz também que os pais jovens deviam ler muitas coisas sobre a maneira de educar e cuidar dos seus filhos. Diz que se a gente quando compra por exemplo um automóvel vai ler o livro das instruções porque é que não compra livros para saber lidar com as crianças.

Desejo-te um ano 2008 cheio de coisas boas.